Páginas

quarta-feira, 9 de maio de 2012

A sociologia de Emile Durkheim deixa a questão da evolução em aberto

O francês Emile Durkheim é o pai da sociologia, nascido no começo do século XIX, ele é um dos principais contestadores das teorias, tidas como "científicas" no final do século, inclusive a evolução, no qual causou posteriormente o Darwinismo Social.

Durkheim, em seu ensaio chamado "O Suícidio", aborda a questão de hereditariedade e mostra o seu posicionamento cético a respeito da evolução, veja um trecho sobre este assunto:

"Infelizmente, se aderimos  a essa formulação, a existência e o domínio de uma raça, só poderão ser estabelecidos com o auxílio de uma investigação histórica e etnográfica, cujos resultados são sempre duvídosos , já que se tratam de questões de origem, só se pode chegar a probabilidades muito incertas."
pag. 64  - O suícidio

Em outro trecho ele deixa claro que o método científico sobre a evolução é altamente discutível:

"Com efeito, ele parte (Quarefages) do princípio de que as qualidades características da raça, se formaram ao longo da evolução da espécie humana, que só se fixaram no organismo sob a influência de hereditariedade,. Ora isso é contestado por toda uma escola de antropólogos, os chamados poligenistas. Para eles, a humanidade, em vez de descender de um só casal, como quer a tradição bíblica, teria surgido, simultânea ou sucessivamente, em diferentes pontos do globo. Como essas estirpes primitivas teriam se formado independentesmente umas das outras e em meios diferentes, ter-se-iam diferenciando desde o início; por conseguinte, cada uma delas teria constituído uma raça. As principais raças não teriam assim, se constituído graças a fixação progressiva de variações adquiridas, mas desde o princípio e de saída. 
Visto que esse grande debate continua aberto, não seria metodologicamente correto incluir a idéia de filiação ou parentesco na noção de raça."
pag. 65 - O suícidio

A ditadura evolucionista-darwinista mostra-se na sociologia um absurdo, o porque então mante-la na ciência, principalmente nas escolas, como se fosse uma verdade absoluta? Fica  reflexão.

2 comentários:

Raquel Weiss disse...

Tal afirmação sobre o argumento de Durkheim é completamente disparatada. O autor era sabidamente um admirador da teoria darwinista, sua crítica aplica-se tão somente ao darwinismo social, que é algo completamente diferente.

Maria Madalena Teodosio disse...

A minha área não é propriamente a antropologia, mas como estudante de ciencias da saude, actualmente a veracidade da teoria sintética da evolução não está "em aberto". Esta pode ser traduzida no termo verdade cientifica (que é diferente de verdade absoluta).